Seguro de Casa: Para que Serve e Como Usar

Muitos pensam que o seguro para casa só é útil para situações improváveis de incêndios, explosões e acidentes naturais, mas o seguro para casa vai além. Os benefícios assistenciais, por exemplo, têm aparecido com frequência como componentes do seguro. Tais serviços são os fornecidos pelos eletricistas, desentupidores e técnicos de eletrodomésticos.

ANÚNCIO

Embora 2017 e 2018 tenham sido anos severos para o consumo, mesmo em cenário de crise, os setores de seguros residenciais cresceram 16 a 19%. Segundo a FENSEG (Federação Nacional de Seguros Gerais), a principal motivação disso é a percepção de que, muitas vezes, perder um bem implica no trabalho de ter que adquiri-lo novamente.

Seguro de Casa
Benefícios assistenciais fornecidos por eletricistas, desentupidores e técnicos, têm aparecido como componentes importantes dos seguros de casa.

Sabia que quando você solicita um seguro automotivo da Porto Seguro, você pode acrescentar esses reparos emergenciais em sua residência? Eletricistas, desentupidores e técnicos de eletrodomésticos também fazem parte do pacote na aquisição da franquia do seu carro.

Vantagens do seguro residencial

Afinal, vale a pena contratar o seguro? Sim e veja porque:

  • É o único meio de proteger o seu patrimônio. A depender do contrato, itens de valor como televisão, mesa, cadeira, entre outros;
  • Com o seguro residencial você economiza nas reconstruções. Quando aconteces imprevistos, seja por roubo, por exemplo, ou por danos causados por incêndios e vendavais, tudo está coberto;
  • O seguro também faz uma espécie de “cobertura de terceiros” em relação a sua residência por meio da responsabilidade civil. É o caso de alguém ser mordido pelo seu pet, um objeto cair da sua casa e atingir alguém, etc;
  • Pode oferecer moradia temporária em um hotel com tudo pago; e
  • As opções variam segundo bairros e cidades. Isso quer dizer que você pode pagar praticamente só pelo que é provável que vá utilizar.

Contratando o seguro para casa

Antes de contatar uma seguradora, é inteligente realizar uma cotação. Embora os seguros para casa sejam os tipos mais baratos de seguros — a partir de R$53 ao ano, a variação de preço pode chegar a mais de 80%.

Existem diversos simuladores confiáveis pela web. Todos eles coletam dados do tipo uso do imóvel, se é habitual ou a veraneio, se a residência é um condomínio fechado, o endereço e os dados pessoais para que o funcionário entre em contato.

Outro fator a ser considerado antes de contratar o seguro para casa é a relação custo-benefício. Seguros muito baratos podem acabar excluindo pontos indispensáveis. Além disso, ter um imóvel mais simples não implica necessariamente de que o seguro será de baixo custo, já que seu valor depende do custo de reforma, não do valor do bem.

Todo seguro já vem com IRE, que é a cobertura para incêndio, raio e explosão. Entretanto, 38% dos acionamentos de seguro ocorrem por danos elétricos, de acordo com o Sincor-SP (Sindicato dos Corretores de São Paulo). É por isso que é muito provável que a apólice básica não seja o suficiente.

Um serviço que não vem na apólice básica é o seguro contra raios, por exemplo. O Brasil é líder mundial na ocorrência de raios — com mais de 70 milhões de raios por ano — e eles podem rachar e até mesmo quebrar as paredes da casa.

Mais uma dica é consultar o nome da seguradora no Reclame Aqui e as avaliações da Proteste. São portais claros e confiáveis que podem dizer muito sobre a reputação e como funciona ser cliente da empresa. Em 2018, a Proteste elegeu Tokio Marine, Bradesco Residencial e SulAmérica Seguros como as melhores seguradoras.