Bolsa Americana: Aprenda Como Investir

Uma maneira de alavancar seus investimentos é diversificar as aplicações, como por exemplo investir na bolsa americana, a NYSE. Ela possui alguns atrativos, como maior liquidez e mais ativos. Alem de uma série de outras estratégias, as quais são inviáveis aqui no Brasil.

ANÚNCIO

Os principais efeitos de variar suas aplicações financeiras, lançando-as em outros países, por exemplo, é a diminuição significativa de riscos de grandes perdas. Além disso, a proteção do seu capital e, assim, o fortalecimento dos seus investimentos.

Bolsa Americana
A Bolsa de valores americana é uma maneira de alavancar investimentos e diversificar as aplicações.

As circunstâncias atuais brasileiras também corroboram com essas iniciativas: os juros vêm caindo desde 2017. Essa instabilidade é muito prejudicial. Isso leva os grandes investidores a buscarem alternativas que favorecem a rentabilidade dos seus negócios. Inclusive a abertura de contas em bancos 100% digitais.

Abertura de conta e custos iniciais

Primeiramente, você não vai precisar viajar. Busque a corretora pela internet mesmo, mas é fundamental que você se certifique de que ela aceita investimentos estrangeiros.

Existem corretoras que negociam diretamente com os clientes. Contudo também existem as que funcionam mais como moderadoras entre o investidor e uma corretora maior.

Opte pela corretora direta. Normalmente são mais confiáveis e possuem o registro no FINRA (Financial Industry Regulatory Authority), ou seja, o órgão governamental que regula as corretoras americanas.

Depois dessa etapa, o restante do processo é semelhante ao brasileiro. Assim sendo, você só vai precisar digitalizar e enviar documentos e, a seguir, receberá seu usuário e senha do sistema da Bolsa. No primeiro acesso já pode realizar uma transferência bancária e operar normalmente.

Quanto aos custos envolvidos para se investir na bolsa de valores americana, são eles:

  • Taxas de transferências bancárias;
  • Taxas das corretoras;
  • Cobrança do IOF; e
  • Outros custos eventuais: taxa de manutenção, spread, contrato de câmbio, entre outros.

É muito importante que você se organize quanto a essas despesas. Porque assim você terá uma noção mais próxima do real, se está perdendo ou ganhando dinheiro.

Principais diferenças entre a Bolsa Americana e a Bovespa

  • Alavancagem para ações:
    • Para operar alavancado aqui no Brasil, deve-se buscar contratos futuros. Com a bolsa estadunidense você pode trabalhar alavancado com as próprias ações e títulos de renda fixa;
  • Alta Liquidez:
    • Ao longo de um pregão regular da Bovespa, todo o giro diário de ações não alcança nem mesmo a diária das aplicações da Apple, por exemplo. Temos algumas centenas de empresas enquanto em solo americano há mais de quatro mil;
  • Cobranças menores:
    • A bolsa dos EUA cobra realmente pouco dos investidores. O negociador que proporciona liquidez ao mercado, na realidade, tem a possibilidade de receber emolumentos em vez de realizar os pagamentos;
  • Mais possibilidades fracionárias:
    • Enquanto no Brasil o investidor só pode adquirir ações a partir de um lote de 100, pela bolsa americana ele pode se inserir no mercado fracionário e adquirir uma fração de ação. Então, se você tem US$ 85 e o papel custa U$ 10, é possível comprar 8,5 ações, por exemplo;
  • Horário de negociação:
    • O pregão de ações brasileira só funciona 8h por dia e os contratos futuros por 9h. Investir na bolsa americana possibilita a negociação — tanto de ações quanto de futuros — 24h por dia, durante seis dias da semana;
  • Maior mercado de opções:
    • Uma mesma empresa oferta diferentes opções sobre os ADRs (American Depositary Receipt), os recibos das ações da NYSE, a depender da bolsa. As ações de uma empresa, as quais são negociadas pelo Bovespa, são, certamente, bem mais restritas quanto aos ativos, vencimentos e liquidez, do que pela bolsa americana.