Fundos Imobiliários: Você Já Ouviu Falar?

Várias pessoas enxergam nos fundos imobiliários uma forma de investir e obter rendimentos significativos. Tanto na prática da revenda quanto no aluguel. Contudo a questão é que esse tipo de investimento é alto. Ele envolve burocracia elevada e está sujeito ao risco de depreciação.

ANÚNCIO

Nesse cenário, os fundos imobiliários são uma saída para quem pretende investir nesse ramo, sem abrir mão da praticidade e gastando menos que o esperado. Por isso, continue lendo o nosso artigo para se inteirar sobre o assunto e saber como investir nesse mercado.

Fundos Imobiliários
No FII investidor adquire cotas do patrimônio imobiliário, se tornando dono de uma de suas partes.

O que são fundos imobiliários?

Um Fundo de Investimento Imobiliário (FII) se trata de um grupo de investidores que aplica seus rendimentos em empreendimentos imobiliários. Nesse modelo o investidor adquire cotas do patrimônio imobiliário, se tornando dono de uma de suas partes.

Dessa forma, esse tipo de fundo costuma ser gerido por um administrador especializado, que fara o acompanhamento da rentabilidade e monitoramento dos indicadores econômicos relacionados. A sua principal preocupação é que o imóvel, seja ele residencial ou comercial, mantenha seu valor de mercado.

Quais são os tipos de FII?

Os fundos imobiliários podem ser classificados em dois diferentes tipos: os fundos de tijolo e os fundos de papel. Explicaremos com mais detalhes sobre cada um desses tipos de FII durante os próximos tópicos deste artigo, continue lendo.

Fundos Imobiliários de tijolo

O foco desse tipo de fundo é investir na aquisição, aluguel ou construção de imóveis. Ou seja, o objetivo principal nessa modalidade é atrair inquilinos, assim os investidores receberam uma cota do valor mensal adquirido com as taxas de uso do imóvel.

Dessa maneira, para entrar nessa classe de fundo o investidor precisa ter um bom conhecimento. Seja da região onde o empreendimento estará localizado, bem como o perfil econômico do segmento que ira frequenta-lo. Segurança, iluminação proximidade de instituições e condições logísticas de um bairro podem afetar drasticamente o valor do investimento.

Fundos Imobiliários de papel

Para alguns, adquirir um imóvel é muito arriscado, mesmo que isso seja feito em grupo. Essas pessoas podem se sentir um pouco mais seguras com fundos de papel, ou seja, elas podem adquirir títulos do mercado imobiliário. Essa modalidade vem atraindo muitos brasileiros.

Certamente, as letras de crédito imobiliário e os certificados de recebíveis imobiliários, que são aplicações financeiras feitas dentro do mercado de imóveis. Nessa classificação os lucros vêm de juros ou comercialização dos títulos, num processo similar ao das bolsas de valores.

Existe algum risco para quem vai investir em FII?

Não existe investimento totalmente seguro, se tratando de imóveis o investidor fica sujeito a inadimplência, desinteresse da demanda e desvalorização do empreendimento. Por isso, é importante contratar uma boa corretora, que te ajude a compreender as condições do mercado e assim possa tomar as melhores decisões de compra.

Portanto, como existem muitas empresas voltadas para esse tipo de negócio, pode ser difícil saber qual delas melhor vai se encaixar nas suas necessidades. Ao mesmo tempo, para tornar esse processo mais fácil, separamos algumas dicas para você no tópico seguinte.

Como investir em FII?

Começar a investir em fundos imobiliários pode parecer um pouco complicado. Entretanto, esperamos facilitar isso para você com o seguinte passo a passo:

  1. Estude as corretoras;
  2. Selecione aquele que mais se enquadra com seu perfil de investidor;
  3. Estude os fundos disponíveis;
  4. Invista no FII compatível com suas condições e objetivos.

Desse modo, obter informações sobre o mercado é a chave para fazer bons investimentos. Por tanto, fique atento sobre os acontecimentos e tendências do mercado imobiliário.

E quanto aos rendimentos?

Basicamente existem duas formas de obter rendimentos com fundos imobiliários, valorização das cotas e distribuição dos lucros. Por exemplo, na valorização das cotas, o investidor lucra vendendo sua participação por um valor superior ao adquirido.

Já na distribuição de lucros, o investidor recebe um rendimento mensal referente a sua cota, que geralmente tem origem nos aluguéis. Ou seja, é importante saber que esse valor será intermediado pela corretora, que também terá sua comissão no empreendimento.

Por fim, avalie bem os riscos e oportunidades antes de adquirir um fundo imobiliário e sempre esteja aberto a ouvir a opinião de empresas e profissionais especializados na área. Conselhos e orientações corretas são essenciais para quem quer obter sucesso nos Fundos de Investimento Imobiliário.